Envelhecer (e amadurecer) emocionalmente

“quando você é mais novo, você acredita que vai ter muita gente pra se conectar. Mais tarde você percebe que isso só acontece algumas vezes”

Eu tive muita sorte. Sempre encontrei facilmente pessoas com quem a conexão foi rápida e fácil, seja para amizade ou romanticamente.

Mas, um dia, eu percebi que isso tinha acabado. Que anos de facilidade e quase nenhum esforço estão sendo compensados por não conseguir engatar uma conversa interessante por mais de 5 minutos com 98.7% das pessoas que acabo de conhecer. É como se minha gama de paciência ou assuntos estivesse muito mais limitada.

Por um lado é triste, sinto falta daquela vida onde eu tinha 89 grupos de amigos diferentes. Por outro lado, agora tenho os que valem à pena e novidades só vão pra frente mesmo quando a conexão é boa demais pra ser verdade.

E é isso que acontece agora. Eu não sou mais a menina de 23 anos que fica 24/7 pensando na mesma pessoa. Eu trabalho, converso com meus amigos, faço minhas coisas, mas você tá sempre no cantinho da minha cabeça. E nas horas que, teoricamente, já são “nossas”, porque meu cérebro acostumou assim, a saudade bate e dói.

É estranho porque eu não esperava mais esse tipo de coisa. Como te disse, me sinto uma adolescente e isso não é agradável.

Eu fico ansiosa ruim, com medo, triste, alegre, ansiosa bom, com sono (👀) e não é a primeira vez que sinto tudo isso, mas parece que é. Ao mesmo tempo que me apavora, me deixa extasiada.

Deixa eu tirar um bando de selfies idiotas com você e postar no Instagram?

Anúncios

Primeiras coisas antes

Primeiro você nasce, então aprende a andar.
Primeiro você aprende a andar, então aprende a correr.
Primeiro você corre, então para.

Primeiro você aprende sobre a letra A, então você escreve uma frase.
Primeiro você escreve uma frase, então você escreve um parágrafo.
Primeiro você escreve um parágrafo, então você escreve uma página inteira e continua.

Primeiro você diz “oi”, então você conversa.
Primeiro você conversa, então beija.
Primeiro você beija, então você transa.
Primeiro você transa, então decide como ir.

Primeiro você diz “eu te amo”, então você faz promessas.
Primeiro você faz promessas, então você as cumpre.
Primeiro você cumpre as promessas e então… Não mais.

Primeiro você toma um gole, então você toma um copo.
Primeiro você toma um copo, então você toma meia garrafa.
Primeiro você toma meia garrafa, então você não se lembra.

Então você não se lembra e continua bebendo até esquecer, então você para, continua, decide como ir, não cumpre as promessas… Então não se lembra.